Assista às aulas e pregações

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

CBA - Livro de Números

Curso Bíblico Apostólico
Livro de Números
com Pastor Luciano Batista

Aula ao vivo toda quinta as 20h00
www.youtube.com/iabmaua 

Moisés foi o autor do Livro de Números.
O Livro de Números foi escrito entre 1440 e 1400 AC.


A mensagem do Livro dos Números é universal e eterna. Ela relembra aos crentes da guerra espiritual na qual estão engajados, pois números é o livro do serviço e caminhar do povo de Deus. O Livro de Números essencialmente preenche a lacuna entre os israelitas recebendo a Lei (Êxodo e Levítico) e a sua preparação para entrar na Terra Prometida (Deuteronômio e Josué).

Versículos-chave:

Números 6.24-26: “O SENHOR te abençoe e te guarde; o SENHOR faça resplandecer o rosto sobre ti e tenha misericórdia de ti; o SENHOR sobre ti levante o rosto e te dê a paz.”

Números 12.6-8: “Então, disse: Ouvi, agora, as minhas palavras; se entre vós há profeta, eu, o SENHOR, em visão a ele, me faço conhecer ou falo com ele em sonhos. Não é assim com o meu servo Moisés, que é fiel em toda a minha casa. Boca a boca falo com ele, claramente e não por enigmas; pois ele vê a forma do SENHOR; como, pois, não temestes falar contra o meu servo, contra Moisés?”

Números 14.30-34: “...não entrareis na terra a respeito da qual jurei que vos faria habitar nela, salvo Calebe, filho de Jefoné, e Josué, filho de Num. Mas os vossos filhos, de que dizeis: Por presa serão, farei entrar nela; e eles conhecerão a terra que vós desprezastes. Porém, quanto a vós outros, o vosso cadáver cairá neste deserto. Vossos filhos serão pastores neste deserto quarenta anos e levarão sobre si as vossas infidelidades, até que o vosso cadáver se consuma neste deserto. Segundo o número dos dias em que espiastes a terra, quarenta dias, cada dia representando um ano, levareis sobre vós as vossas iniqüidades quarenta anos e tereis experiência do meu desagrado.”

A maioria dos eventos do Livro de Números se realiza no deserto, principalmente entre o segundo e quadragésimo ano da peregrinação dos israelitas. Os primeiros 25 capítulos do livro relatam as experiências da primeira geração de Israel no deserto, enquanto que o resto do livro descreve as experiências da segunda geração. O tema de obediência e rebelião seguidas de arrependimento e bênção percorrem todo o livro, assim como todo o Antigo Testamento.


O tema da santidade de Deus continua do Livro de Levítico ao Livro de Números, o qual (o livro de Números) revela a instrução e preparação de Deus do Seu povo para entrar na Terra Prometida de Canaã. A importância do Livro dos Números é indicada por ser mencionado no Novo Testamento muitas vezes. O Espírito de Deus chama atenção especial a esse livro em 1 Coríntios 10.1-12. As palavras “estas coisas se tornaram exemplos para nós” se referem ao pecado dos israelitas e ao desagrado de Deus com eles.

Em Romanos 11.22, Paulo fala sobre a “bondade e a severidade de Deus”. Isso, em resumo, é a mensagem de Números. A severidade de Deus é vista na morte da geração rebelde no deserto, aqueles que nunca entraram na Terra Prometida. A bondade de Deus é realizada na nova geração. Deus protegeu, preservou e proveu para essas pessoas até que finalmente possuíram a terra. Isso nos lembra da justiça e do amor de Deus, que sempre estão em harmonia soberana. Descartando a teoria de que na graça podemos fazer o que vem a cabeça.

A exigência de Deus por santidade em seu povo é finalmente e completamente satisfeita no seu Messias, pois Ele veio cumprir a lei em nosso favor (Mateus 5.17). O conceito do Messias prometido permeia por todo o livro. A história no capítulo 19 do sacrifício da novilha vermelha “perfeita, sem defeito” prefigura Cristo, o Cordeiro de Deus sem mancha nem mácula que foi sacrificado por nossos pecados. A imagem da serpente de bronze levantada sobre a haste para proporcionar a cura física (Capítulo 21) também prefigura o levantamento de Cristo, seja na cruz ou no ministério da Palavra, pois quem olha para Ele pela fé espiritual pode ter cura. (João 3.14)

No capítulo 24, o quarto oráculo de Balaão fala da estrela e do cetro que vai surgir de Jacó. Aqui encontra-se uma profecia de Cristo que é chamada de “estrela da manhã” em Apocalipse 22.16 por Sua glória, brilho e esplendor e pela luz que vem por Ele. Ele também pode ser chamado de um cetro, quer dizer, um portador de cetro, por causa de sua realeza. Ele não só tem o nome de um rei, mas tem um reino e reina com um cetro de graça, misericórdia e justiça.

Um dos principais temas teológicos desenvolvidos no Novo Testamento com base no Livro de Números é que o pecado e incredulidade, sobretudo a rebelião, colherão o julgamento de Deus. Primeiro Coríntios capítulo 10 diz especificamente -- e Hebreus 3.7 - 4.13 fortemente implica -- que estes eventos foram escritos como exemplos para os crentes observar e evitar. Nós não devemos cobiçar as “coisas más, como eles cobiçaram” (v. 6), ou ser sexualmente imoral (v. 8), ou colocar Deus à prova (v. 9), ou reclamar e queixar-se (v. 10).

Assim como os israelitas vagaram pelo deserto 40 anos por causa de sua rebelião, assim também Deus às vezes nos permite andar longe dEle e sofrer a solidão e a falta de bênçãos quando nos rebelamos contra Ele. Mas Deus é fiel e justo, e assim como Ele restaurou os israelitas para o seu legítimo lugar no Seu coração, Ele sempre vai restaurar os Cristãos ao lugar de bênção e comunhão íntima com Ele se nos arrependermos e nos voltarmos para Ele (1 João 1.9).

Plano de Salvação:

Reconhecendo nosso Deus como único criador do universo podemos então retornar para Ele.
Esse retorno só é possível pela obra redentora que Deus providenciou pela cruz. (Atos 20.28)
Através da sua morte Ele abril uma porta de salvação pelo batismo nas águas EM NOME DE JESUS (Atos 2.28; Romanos 6.1-6).
Agora participantes de sua morte e ressurreição, somos também batizados no Espírito Santo para poder participar de sua vida. (I Coríntios 6.17).

Igreja Apostólica do Brasil

Mauá-SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário